Segurança no trabalho pode diminuir acidentes em 98%
4 hábitos para melhorar o rendimento no trabalho
Trabalho em altura: uso de equipamentos seguros e compatíveis às funções
Saúde no ambiente de trabalho: alergia
Prevenção é a principal maneira de combater a LER/DORT
Medicina do trabalho pode reduzir custos com plano de saúde
Veja as regras da lei que amplia para 20 dias a licença-paternidade
Perda auditiva relacionada ao trabalho
Você conhece a síndrome do esgotamento profissional?
Doenças ocupacionais poderiam ser evitadas pelos empregadores
Análise: vinculação do adicional de insalubridade ao salário
Acidentes de trajeto representam 20% dos acidentes de trabalho
Ignorar e-mails fora do horário de trabalho garante vida mais feliz e com menos estresse, dizem psicólogos
Segunda-feira é o dia campeão de horas extras no trabalho, diz pesquisa
As 10 profissões mais estressantes para 2016
Aposentadoria, seguro-desemprego, domésticos: direitos mudaram em 2015
Equipamentos de Proteção Individual
Portaria MTPS nº 116: Regulamenta a realização dos exames toxicológicos para motoristas previsto na CLT
Confissão do trabalhador não autoriza presunção de eficácia dos EPIs
Faça seus exames médicos na Realiza!
Comunicado de Férias Coletivas
Índices do FAP com vigência em 2016 estão disponíveis para consulta
Entenda o eSocial em 10 tópicos
A ISO 9001:2015 está publicada
Treinamento de Líderes de Segurança no cliente Motormac
Em perguntas e respostas, saiba o que é meningite e como se prevenir
eSOCIAL: Forma de prestar informações relativas aos trabalhadores será simplificada e começa a mudar a partir de setembro de 2016
Previdência: Medida Provisória nº 664/2014 é convertida na Lei nº 13.135/2015
A importância da Gestão de Riscos
eSocial - Esclarecimentos sobre o PPRA e PCMSO
Terceirização de serviços em condomínios: fique atento!
Auditorias: Tensão ou Solução?
A Importância da Psicoterapia
Plano de Recuperação de áreas degradadas – PRAD
Psicoterapia para Empresas
Programa de Avaliação de Exposição à Sobrecarga Térmica
O ciclo PDCA
Sistemas de Gestão
Dia Mundial da Qualidade
E-Social – O que é e o que muda na sua empresa?
A importância da medicina e segurança do trabalho preventiva
Revisão da norma ISO 9001:2015 - Principais alterações
Cuidamos da saúde do seu colaborador!
Os danos à saúde do trabalhador decorrentes da vibração ocupacional
Dia da Ação Voluntária Cyrela
Diferenças entre Insalubridade e Periculosidade
15 dicas para prevenir acidentes no trabalho
Por que o planejamento pessoal é importante?
A importância da Consultoria no âmbito dos negócios
A importância do uso de EPI – Equipamento de Proteção Individual
Grupo realiza recebe recertificação na Norma ISO 9001
NOTÍCIAS

Trabalho em altura: uso de equipamentos seguros e compatíveis às funções

18/03/2016

Trabalho em altura não é para todos. É preciso ter preparação e coragem para enfrentar os riscos que a prática exige. Mas apenas coragem não basta, é preciso ter segurança. Para isso, é fundamental que o praticante esteja equipado com os melhores acessórios para promover conforto, mobilidade e minimizar ao máximo a chance de haver um acidente.

O que caracteriza o trabalho em altura?

Toda atividade realizada acima de dois metros do nível inferior que haja riscos iminentes de queda, é considerada trabalho em altura. O Ministério do Trabalho exige uma série de obrigações para patrões e empregados que exercem atividades nestas condições. É indispensável que o profissional seja capacitado para a função, por meio de cursos e treinamentos reconhecidos.

O trabalho em altura é regulamentado pela Norma Regulamentadora nº 35 (Trabalho em Altura) do Ministério do Trabalho e Emprego, que estabelece os requisitos mínimos e as medidas de proteção. Tais requisitos e medidas envolvem o planejamento, a organização e a execução, de forma a garantir a segurança e a saúde dos trabalhadores envolvidos direta ou indiretamente com esta atividade.

Há uma hierarquia simples de medidas de controle que serve para eliminar riscos de queda em altura. Essa hierarquia deve ser seguida sistematicamente de forma que a pessoa que esteja no controle do trabalho deva:

- Usar o equipamento de trabalho em altura para evitar quedas, onde há o risco;

- Sempre considerar medidas que protejam todos os grupos de risco;

- Verificar se o equipamento de superfície/acesso em uso é estável e forte o suficiente -para suportar o peso do trabalhador e de qualquer equipamento;

- Realizar o trabalho tanto quanto possível a partir do solo, como montar estruturas e levantá-las na posição de meios de elevação;

- Tomar precauções quando se trabalha em ou perto de superfícies frágeis, como por exemplo, em uma cobertura simples de telhados, para evitar uma queda ou para minimizar a distância e as consequências no caso de uma queda;

- Garantir que os trabalhadores possam chegar com segurança até onde forem trabalhar em altura e também considerar os procedimentos de evacuação e salvamento de emergência;

- Certificar-se de que todos os envolvidos são competentes para fazer o trabalho pelo qual são responsáveis, nomeadamente aqueles que planejam e organizam;

- Escolher o equipamento mais adequado para o tipo de trabalho que está sendo feito;

- Fornecer proteção contra queda de objetos;

- Certificar-se de que o equipamento utilizado para trabalho em altura está bem conservado e inspecionado regularmente.

O trabalho em altura não permite erros, já que eles podem ser fatais. Portanto, o uso de dispositivos necessários e de qualidade devem ser implementados, conforme normas regulamentadoras de segurança do trabalho. Confira os principais equipamentos para trabalho em altura que o empregador possui a obrigação de fornecer:

Ascensor de punho: Serve para a ascensão em cordas de material têxtil. Geralmente, os ascensores são fabricados em aço e alumínio, e resistem a grandes capacidades de cargas.

Cinto paraquedista: É indicado para atividades em alturas superiores a dois metros, quando existem riscos de queda do trabalhador. São utilizados, por exemplo, em atividades feitas em torres e serviços de manutenção de telefonia e de eletricidade, nos postes.

Magnésio: Possui a função de diminuir a umidade das mãos que ficam escorregadias com a transpiração. Além de evitar qualquer tipo de paragem, pois é de fácil usabilidade e armazenagem.

Mosquetão: São utilizados para garantir segurança em ancoragens, facilitando a rotina do trabalhador e garantindo, a ele, mais segurança durante o desenvolvimento da função atribuída. O mosquetão de aço é o mais recomendado para escaladas e transporte de materiais durante trabalhos verticais. Os mosquetões são indispensáveis durante escaladas em rochas e alpinismo.

Dúvidas sobre trabalho em altura? Entre em contato com um dos nossos técnicos de segurança pelo e-mail realiza@realizaconsultoria.com.br ou pelo telefone (51) 3224.0032