Segurança no trabalho pode diminuir acidentes em 98%
4 hábitos para melhorar o rendimento no trabalho
Trabalho em altura: uso de equipamentos seguros e compatíveis às funções
Saúde no ambiente de trabalho: alergia
Prevenção é a principal maneira de combater a LER/DORT
Medicina do trabalho pode reduzir custos com plano de saúde
Veja as regras da lei que amplia para 20 dias a licença-paternidade
Perda auditiva relacionada ao trabalho
Você conhece a síndrome do esgotamento profissional?
Doenças ocupacionais poderiam ser evitadas pelos empregadores
Análise: vinculação do adicional de insalubridade ao salário
Acidentes de trajeto representam 20% dos acidentes de trabalho
Ignorar e-mails fora do horário de trabalho garante vida mais feliz e com menos estresse, dizem psicólogos
Segunda-feira é o dia campeão de horas extras no trabalho, diz pesquisa
As 10 profissões mais estressantes para 2016
Aposentadoria, seguro-desemprego, domésticos: direitos mudaram em 2015
Equipamentos de Proteção Individual
Portaria MTPS nº 116: Regulamenta a realização dos exames toxicológicos para motoristas previsto na CLT
Confissão do trabalhador não autoriza presunção de eficácia dos EPIs
Faça seus exames médicos na Realiza!
Comunicado de Férias Coletivas
Índices do FAP com vigência em 2016 estão disponíveis para consulta
Entenda o eSocial em 10 tópicos
A ISO 9001:2015 está publicada
Treinamento de Líderes de Segurança no cliente Motormac
Em perguntas e respostas, saiba o que é meningite e como se prevenir
eSOCIAL: Forma de prestar informações relativas aos trabalhadores será simplificada e começa a mudar a partir de setembro de 2016
Previdência: Medida Provisória nº 664/2014 é convertida na Lei nº 13.135/2015
A importância da Gestão de Riscos
eSocial - Esclarecimentos sobre o PPRA e PCMSO
Terceirização de serviços em condomínios: fique atento!
Auditorias: Tensão ou Solução?
A Importância da Psicoterapia
Plano de Recuperação de áreas degradadas – PRAD
Psicoterapia para Empresas
Programa de Avaliação de Exposição à Sobrecarga Térmica
O ciclo PDCA
Sistemas de Gestão
Dia Mundial da Qualidade
E-Social – O que é e o que muda na sua empresa?
A importância da medicina e segurança do trabalho preventiva
Revisão da norma ISO 9001:2015 - Principais alterações
Cuidamos da saúde do seu colaborador!
Os danos à saúde do trabalhador decorrentes da vibração ocupacional
Dia da Ação Voluntária Cyrela
Diferenças entre Insalubridade e Periculosidade
15 dicas para prevenir acidentes no trabalho
Por que o planejamento pessoal é importante?
A importância da Consultoria no âmbito dos negócios
A importância do uso de EPI – Equipamento de Proteção Individual
Grupo realiza recebe recertificação na Norma ISO 9001
NOTÍCIAS

Em perguntas e respostas, saiba o que é meningite e como se prevenir

15/07/2015

O que é a meningite?
A meningite é um processo inflamatório das meninges, membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal. É uma doença contagiosa que pode ser causada por vírus, bactérias e fungos, entre outros agentes infecciosos.

Quais são os principais tipos de meningite e qual o mais grave?
São dois os principais tipos de meningite, a viral e a bacteriana. A meningite bacteriana é mais grave e, dependendo dos casos, pode levar o paciente à morte em algumas horas após o aparecimento dos sintomas.

Entre as meningites bacterianas, a meningocócica costuma ser a responsável pelos quadros mais graves e fatais da doença. Ela é causada por uma bactéria que possui diversos sorogrupos. Os mais frequentes são o A, B, C e o Y e W.

Já as meningites virais costumam ser caracterizadas por um quadro clínico benigno, isto é, que não tem caráter perigoso. Não há tratamento específico. A grande maioria dos pacientes se cura em casa, sem sequelas. Os sintomas assemelham-se aos de viroses em geral.

Qual a diferença entre meningite e doença meningocócica?
O meningococo é o nome de uma bactéria que causa meningite e meningococcemia. Ambas são denominadas doenças meningocócicas. Meningite é a inflamação das meninges no cérebro, e a meningococcemia é a infecção generalizada. Alguns pacientes podem ter as duas formas de apresentação da doença meningocócica. O contágio se dá por via respiratória. Se o paciente é tratado precocemente, tem uma resposta boa. Porém, a doença evolui muito rapidamente, podendo levar à morte.

Quais os principais sintomas da doença meningocócica?
Os principais sinais e sintomas são: febre alta que começa abruptamente, dor de cabeça intensa e contínua, vômito, náuseas, rigidez de nuca e manchas vermelhas na pele ou hematomas. Em crianças menores de um ano de idade, esses sintomas podem não ser tão evidentes e os pais ou responsáveis devem atentar para a presença de moleira tensa ou elevada, irritabilidade, inquietação com choro agudo e persistente e rigidez corporal com ou sem convulsões.

Qual é a forma de contágio?
Em geral, a transmissão da meningite ocorre de pessoa a pessoa, através das vias respiratórias, por gotículas e secreções do nariz e da garganta. Por isso, a incidência da doença costuma aumentar nos meses de frio. Tosse, espirro, beijo e compartilhamento de itens pessoais podem transmitir meningite.

Existe algum tipo de prevenção?
A principal forma de prevenção é a aplicação das diferentes vacinas disponíveis. Além disso, deve-se evitar o contato com pessoas infectadas, evitar frequentar ambientes fechados e com aglomeração de pessoas. Outras medidas importantes são higienização das mãos, higienização e ventilação dos ambientes e cuidado com os alimentos.

A meningite pode atingir pessoas de qualquer idade?
Sim, crianças, adultos e idosos podem contrair meningite. Segundo a Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Sul, a criança é mais vulnerável, e por isso o Ministério da Saúde incluiu a vacina contra o tipo C no calendário oficial de vacinação desde 2010. O principal risco é no primeiro ano de vida.

Quais as vacinas disponíveis?
Existem vacinas disponíveis contra meningococos dos sorotipos A, B, C e Y e W. Apenas a vacina contra o sorogrupo C, o mais comum no Brasil, está disponível no sistema público de saúde para crianças de até dois anos. As vacinas para os demais tipos são encontradas apenas na rede privada.

Quem deve se vacinar?
Todas as crianças devem se vacinar na rede pública para o tipo C. A Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Sul recomenda também que crianças e adolescentes de até 20 anos recebam doses das vacinas contra o sorotipo B e contra os sorotipos A, C e W e Y.

Onde se vacinar?
A vacina meningocócica do sorogrupo C está disponível nos postos de saúde para crianças de até dois anos de idade e faz parte do calendário de vacinação do Programa Nacional de Imunização desde 2010. As doses são aplicadas em bebês aos três meses e cinco meses de idade, com reforço aos 15 meses. Esse reforço pode ser recebido até os dois anos.

As vacinas contra o sorotipo B e contra os sorotipos A, C e W e Y, são encontradas apenas em clínicas privadas. Em Porto Alegre, o preço médio da vacina tetravalente é de R$ 270. É necessária a aplicação de um reforço cinco anos depois. Já a do tipo B custa em média R$ 540 e requer a aplicação de uma nova dose dois meses depois para crianças acima de um ano. O preço dessa vacina é considerado alto porque ela é produzida por apenas uma empresa, através de uma tecnologia de engenharia genética.