Segurança no trabalho pode diminuir acidentes em 98%
4 hábitos para melhorar o rendimento no trabalho
Trabalho em altura: uso de equipamentos seguros e compatíveis às funções
Saúde no ambiente de trabalho: alergia
Prevenção é a principal maneira de combater a LER/DORT
Medicina do trabalho pode reduzir custos com plano de saúde
Veja as regras da lei que amplia para 20 dias a licença-paternidade
Perda auditiva relacionada ao trabalho
Você conhece a síndrome do esgotamento profissional?
Doenças ocupacionais poderiam ser evitadas pelos empregadores
Análise: vinculação do adicional de insalubridade ao salário
Acidentes de trajeto representam 20% dos acidentes de trabalho
Ignorar e-mails fora do horário de trabalho garante vida mais feliz e com menos estresse, dizem psicólogos
Segunda-feira é o dia campeão de horas extras no trabalho, diz pesquisa
As 10 profissões mais estressantes para 2016
Aposentadoria, seguro-desemprego, domésticos: direitos mudaram em 2015
Equipamentos de Proteção Individual
Portaria MTPS nº 116: Regulamenta a realização dos exames toxicológicos para motoristas previsto na CLT
Confissão do trabalhador não autoriza presunção de eficácia dos EPIs
Faça seus exames médicos na Realiza!
Comunicado de Férias Coletivas
Índices do FAP com vigência em 2016 estão disponíveis para consulta
Entenda o eSocial em 10 tópicos
A ISO 9001:2015 está publicada
Treinamento de Líderes de Segurança no cliente Motormac
Em perguntas e respostas, saiba o que é meningite e como se prevenir
eSOCIAL: Forma de prestar informações relativas aos trabalhadores será simplificada e começa a mudar a partir de setembro de 2016
Previdência: Medida Provisória nº 664/2014 é convertida na Lei nº 13.135/2015
A importância da Gestão de Riscos
eSocial - Esclarecimentos sobre o PPRA e PCMSO
Terceirização de serviços em condomínios: fique atento!
Auditorias: Tensão ou Solução?
A Importância da Psicoterapia
Plano de Recuperação de áreas degradadas – PRAD
Psicoterapia para Empresas
Programa de Avaliação de Exposição à Sobrecarga Térmica
O ciclo PDCA
Sistemas de Gestão
Dia Mundial da Qualidade
E-Social – O que é e o que muda na sua empresa?
A importância da medicina e segurança do trabalho preventiva
Revisão da norma ISO 9001:2015 - Principais alterações
Cuidamos da saúde do seu colaborador!
Os danos à saúde do trabalhador decorrentes da vibração ocupacional
Dia da Ação Voluntária Cyrela
Diferenças entre Insalubridade e Periculosidade
15 dicas para prevenir acidentes no trabalho
Por que o planejamento pessoal é importante?
A importância da Consultoria no âmbito dos negócios
A importância do uso de EPI – Equipamento de Proteção Individual
Grupo realiza recebe recertificação na Norma ISO 9001
NOTÍCIAS

O ciclo PDCA

10/02/2015

O PDCA é, provavelmente, o mais conhecido conceito de gestão da qualidade. Mesmo pessoas leigas costumam conhecer as quatro etapas básicas que ficaram famosas depois que ele foi introduzido no Japão e daí ganhou o mundo.

Dentro do contexto de um sistema de gestão da qualidade, o PDCA é um ciclo dinâmico que pode ser desdobrado dentro de cada um dos processos da organização, e para o sistema de processos como um todo. É intimamente associado com o planejamento, implementação, controle e melhoria contínua darealização do produto e outros processos de sistemas de gestão da qualidade.

A manutenção e a melhoria continua da capacidade do processo  pode ser alcançada através da aplicação do conceito  PDCA em todos os níveis dentro da organização. Isto aplica para autonivelar igualmente processos estratégicos , como planejamento do sistema de gestão da qualidade , ou análise crítica pela direção, e para atividades operacionais simples levadas a cabo como uma parte de processos de realização do produto. 

O PDCA são as iniciais das palavras inglesas plan, do, check, e action, que significam planejar, fazer, verificar e agir (corretivamente).

As quatro partes do PDCA são descritas a seguir:

PLANEJAR: "Não existe nada (nenhum processo) que não possa ser melhorado". Na fase de planejamento do ciclo escolhe-se um processo ou problema a ser sanado. O processo escolhido pode ser uma atividade, linha de montagem, um método etc. Desenhamos o projeto e o estudamos por meio de técnicas de administração da produção. Estabelecemos padrões de medidas e metas quantitativas e qualitativas a serem alcançadas. Desenvolvemos um plano de ação com parâmetros quantificáveis de acompanhamento.

FAZER: Depois do plano de ação definido, cabe fazer com que ele aconteça na prática. É importante colher dados e medidas ("quem não mede não gerencia" ) continuamente, e documentar as mudanças no processo. Uma boa estratégia é escolher, na fase anterior de planejamento, processos e problemas fáceis de resolver. O sucesso das primeiras ações serve de treino e incentivo a equipe responsável.

VERIFICAR: Nessa fase são verificados os resultados práticos da implementação do plano. Se existirem grandes distorções para alcançar os resultados, pode ser necessário retorno a primeira fase e alterar ou refazer o plano inicial. Caso os resultados obtidos sejam satisfatórios, em relação às metas estabelecidas, o programa deve prosseguir para a próxima fase.

AGIR (CORRETIVAMENTE): comprovada a eficácia do plano implantado e adotado, é necessário torná-lo padrão na empresa. O novo procedimento é documentado para garantir que sempre seja utilizado, a partir de então e até que uma nova melhoria o modifique. Esta fase garante que as mudanças que resultaram em melhorias sejam internalizadas nos processos produtivos adotados pela empresa. Caso as mudanças não alcancem os resultados esperados, esta etapa envolve o retorno à situação anterior.

O PDCA pode ser aplicado em todas as áreas funcionais da organização (produção, recursos humanos, marketing, finanças, entre outras), nas quais podem ser identificadas as funções da administração: planejamento, organização, controle e direção.

O Grupo Realiza conta com uma equipe excelente de consultores que podem ajudar sua empresa a aplicar este conceito e implantar as ferramentas da qualidade. 

 Fonte: UBQ